CIRURGIAS

CIRURGIA PARA RONCO

Cirurgia para ronco

Tratamentos Cirúrgicos que podem ser indicados em pacientes com ronco, obstrução nasal e/ou amigdalite crônica:

 

1 - Injeção Roncoplástica - Método de tratamento para ronco primário (sem associação de apnéia) que vem sendo usado nos últimos anos, consiste na aplicação de uma substância no palato mole em 3 pontos distintos promovendo um aumento de rigidez nos tecidos na região, com isso diminuindo o ronco. Trata-se de uma opção mais interessante do que o laser (LAUP) e a radiofrequência já que pode ser realizada no consultório e o retorno imediato as atividades diárias.

 

2?- Uvulopalatofaringoplastia e Cirurgias que visam a melhora da patência nasal.

 

A. Uvulopalatofaringoplastia

 

Realizada em pacientes com Ronco Primário ou Apnéia Leve que estão no seu peso ideal ou próximos dele. Quanto maior o tamanho das amígdalas, espera-se um melhor resultado na resolução do problema.

A cirurgia consiste basicamente na remoção das amígdalas e de um fragmento do palato mole e na realização de alguns pontos que abrem o espaço da faringe para previnir o colabamento das estruturas que geram o ronco.

 

A cirurgia de remoção de amigdalas pode ser realizadas em adultos e crianças. Sempre sob anestesia geral, o tempo cirúrgico é de cerca de 30 minutos, independente da realização da cirurgia das adenóides junto. Existem diversas técnicas cirúrgicas para a remoção de amigdalas, sendo as mais comuns:

- Dissecção a frio - é realizada a cirurgia por meio de instrumentos e a ligadura dos vasos é feita através de pontos.

- Cauterização com Bipolar - a amígdala é dissecada enquanto ao mesmo tempo são cauterizados os vasos adjacentes.

Coblation - Por meio de um plasma, é possível realizar a dissecção minunciosa da amigdala sem que haja um aumento excessivo da temperatura e agressão aos tecidos. Melhor pós operatório inicial devido a menor quantidade de dor.

 

B. Septoplastia e Turbinectomia

 

Sempre feito com endoscópio, câmera e pinças específicas, sem nehum corte externo, durante o procedimento é realizada a ressecção do desvio septal e de cerca de 40% do volume da concha nasal inferior com o uso da tecnologia de plasma através de um aparelho chamado Coblation, faz com que a turbinectomia seja um procedimento cuja recuperação é mais rápida e com menor agressão aos tecidos operados, uma vez que ocorre a cauterização do excesso de mucosa, sem haver um aumento de temperatura intenso como ocorre com os laser e aparelhos de cauterização convencionais.

 

Após a realização da cirurgia endoscópica nasal, temos a opção de utilizar uma substância Hemostática que auxilia na coagulação e cicatrização chamada Surgiflo, auxiliando em uma recuperação mais tranquila do paciente.