Otorrino

TONTURA

Tontura

Já se foi o tempo em que uma pessoa era simplesmente rotulada como tendo "labirintite" e teria apenas que conviver com esta situação. A medicina vem avançando exponencialmente e com isto novos tratamentos surgem.

O mais importante quando estamos frente a um paciente apresentando sintomas de tontura rotatória ou sensação de mal estar e flutuação é entender que estes são sintomas e não a doença por si só.

Com isso em mente a função do médico é procurar a causa da vertigem através de um exame físico minuncioso e eventualmente de exames laboratoriais ou de imagem se forem necessários. Com a definição do diagnóstico será possível em grande parte de pacientes o tratamento específico e resolução completa da patologia causadora dos sintomas e, com isso, a melhora da "labirintite".

Seguem abaixo algumas informações técnicas sobre o assunto: 

A vertigem pode se apresentar como uma sensação de instabilidade ou de flutuação, de que tudo está rodando ou de que a própria pessoa está rodando.

Pode ter diversas etiologias, sendo as mais comuns:

  • - Vertigem Postural Paroxístca Benigna
  • - Síndrome do desequilibrio do idoso
  • - Síndrome de Ménière
  • - Alterações de propriocepção
  • - Alterações Metabólicas
  • - Viral
  • - Labirintite infecciosa

O diagnóstico é feito através de avaliação otorrinolaringológica, Audiometria, Impedânciometria, Vectoeletronistagmografia e exames laboratoriais.

O tratamento varia de acordo com a causa, podendo variar desde medicamentos, fisioterapia, hidroginástica, reabilitação vestibular até cirurgia.

Além disso, para os pacientes com vertigem valem algumas orientações:
Não ingerir:

- cafeína e seus derivados - café, chocolate, chá mate ou preto e coca-cola
- estimulantes em geral - guaraná, pó de guaraná, energéticos
- gorduras e frituras
- doces em geral, principalmente açúcar mascavo
- bebidas alcoólicas
- tabaco
Comer a cada três horas

E, durante a crise, não assistir televisão, ler livros ou ficar no computador